BERNARDO

FIGUEIREDO

Bernardo Figueiredo (1934-2012) se formou arquiteto em 1957, na Faculdade Nacional de Arquitetura da Universidade do Brasil, no Rio de Janeiro. Começou a atuar profissionalmente nos ‘Anos Dourados’. Momento paradigmático e auspicioso de nossa história, quando a política para desenvolver 50 anos em 5 incentivou as indústrias brasileiras.

Bernardo trabalhou com arquitetura de interiores na Oca. Entre 1963 e 1967, projetou cerca de 70 móveis de uso residencial em jacarandá e palhinha, nomeados como Desenho Brasileiro, que foram vendidos na loja Chica da Silva, da figurinista Kalma Murtinho. Também desenhou uma linha de móveis para escritório, entre 1966 e 1967, para a Hermax Móveis. Ainda nos anos 1960, criou o Amak Monobloco, uma linha de móveis populares produzidos pela Silecia e apresentados na Feira Internacional de Berlim de 1966.

A convite do então embaixador Wladimir Murtinho (1919- 2003), Figueiredo projetou móveis para o Palácio Itamaraty, integrando equipe formada Por Jorge Hue (1923- ), Joaquim Tenreiro (1906- 1992), Sérgio Rodrigues (1927-2014) e Karl Heinz Bergmiller (1928- ). Mas para além de móveis, Bernardo trabalhou com design gráfico, projeto de feiras internacionais, design de interiores, arquitetura e urbanismo.

O desejo de modernização paulatinamente reconfigurou a casa, a cidade, as ruas. No espaço do interior doméstico, o móvel introduziu novos padrões de ambiências, de acolhimento e de arranjos espaciais. O modo de vida do brasileiro se transformou. Parte da produção ainda era artesanal, contando com a mão de obra de marceneiros, imigrantes portugueses, mas aos poucos a mecanização entrou em ação, abrindo possibilidades para a atuação profissional de arquitetos, designers e decoradores. A cidade do Rio de Janeiro desempenhou papel central na instalação e consolidação do campo do design em nosso país e já vinha criando uma vertente carioca do design de mobiliário. Compreender a dinâmica cultural de Ipanema nos anos sessenta, nos ajuda a situar a obra de Bernardo.
Bernardo Figueiredo protagonizou importantes transformações da arquitetura e do design brasileiros. Ele teve a oportunidade de dialogar profissionalmente com os grandes criadores do móvel moderno brasileiro. Foi contemporâneo de Sérgio Rodrigues, com quem colaborou diretamente, na empresa Oca, de Joaquim Tenreiro, entre outros.

Este texto faz parte do Livro: Bernardo Figueiredo, designer e arquiteto brasileiro – Maria Cecília Loschiavo dos Santos, Amanda Beatriz Palma de Carvalho e Karen Matsuda – Editora Olhares

Fale conosco no WhatsApp